Blog oficial

Alugar ou Comprar? O velho dilema.

Todos já passamos ou passaremos por isso. Chega um momento de nossa vida, geralmente motivado por eventos transformadores, como filhos, casamento ou um emprego mais estável, onde começamos a nos questionar se já não é hora de comprar um imóvel.

Introdução

Por mais que nosso desejo fosse que existisse uma resposta exata para essa pergunta, ela não existe. E pior, ela depende de dois fatores principais, condições financeiras e comportamentais. Nesse post, começaremos pela mais concreta e quantificável, ter os recursos para a compra do imóvel é o primeiro passo para comprá-lo, lógico. No próximo post, tratamos das questões comportamentais.

Comprar imóvel financiado

Considerando que pouquíssimas pessoas têm condição de comprar um apartamento a vista no Brasil, vamos tratar somente do caso financiado.

Entrada

Primeiro, você precisa dar uma entrada de na média 20% do valor do apartamento, que pode ser composto inteiramente ou parcialmente pelo seu FGTS.

Comprovação de Renda

O próximo passo, é comprovar sua renda mensal, que deve ficar próxima 3x o valor da parcela do financiamento. Você pode compor essa renda com outra pessoa, desde que ela compre o imóvel com você. Quanto maior a sua entrada, menor a sua parcela. Quanto maior o seu prazo de financiamento, menor sua parcela também.

Juros do financiamento

Por outro lado, quanto mais alto os juros do seu financiamento, sua parcela fica maior e portanto, precisará comprovar uma renda maior. Essa questão dos juros conecta com outro fator importante, o custo do aluguel, que na verdade é o custo do dinheiro no tempo.

Rental Yield (rendimento do aluguel) e o custo do dinheiro

Ao mesmo tempo que o banco precisa cobrar juros para nos emprestar o dinheiro, pois caso contrário poderia usar o recurso para outro fim, os proprietários de imóveis também precisam cobrar "juros" sobre o uso dos imóveis. O mercado chama esses juros de "rental yield" e é possível descobrir essa taxa ao dividir o aluguel total anual (sem condomínio e IPTU) pelo valor do imóvel.

Comparar Rental Yield com CET (Custo Efetivo Total)

Podemos falar do rental yield com mais detalhe em outro post, mas o conceito importante aqui é sempre comparar o rental yield do imóvel que você alugaria com os juros (CET) do seu financiamento.

Valorização do imóvel

Esse não é o único fator que você deve levar em conta nessa comparação, pois o imóvel também valoriza com o tempo e se você ficar sempre alugando, pode ser que acabe perdendo poder de compra, caso o imóvel se valorize muito acima da sua renda. Esse tema parece simples, mas é complexo e por se tratar de um dos pilares para decidir entre alugar ou comprar, traremos mais detalhes em posts posteriores, fique ligado!